terça-feira, 20 de maio de 2014

Cultura do Estupro: a culpa (NÃO) é sua!



Pra falar sobre a Cultura do Estupro precisamos primeiramente entender o que é o estupro. Há muitos mitos perpetuados pela sociedade em que o estupro se figura como aquela violência que acontece quando uma mulher passa de noite em um beco, perto de uma moita e surge um homem e a agarra. Que o estupro acontece quando a mulher está de saia curta e frequenta lugares tidos como perigosos. Que o estupro é aquela violência cometida por homens com doenças mentais, por pedófilos nojentos, por monstros.
A verdade é que praticamente toda mulher passou (ou vai passar) por uma situação de estupro na vida. Estupro é realizado pro homens "normais" e é aprovado e perpetuado pela sociedade.

Então, o que é estupro?

O conceito legal de estupro é:
"Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso."
Estupro é o sexo (e demais ações correlacionadas) sem consentimento de uma das partes.

Margo Paine fez uma pesquisa com universitários americanos publicada em Body Wars. Os resultados são alarmantes:

30% dos entrevistados assumiram que estuprariam caso não houvesse consequências legais.

8% já estupraram ou tentaram estuprar.

83% concordam com a frase: "Algumas mulheres parecem que estão pedindo para ser estupradas".

Quando Paine substituiu a palavra estupro por "sexo forçado" (que já vimos serem sinônimos), o resultado foi:

54% disseram que "forçariam sexo".

Sabe quando uma mulher está com dor de cabeça e o marido começa a passar a mão e coagir para quem tenham relações? Isso é estupro!
Consentimento sob pressão, não é consentimento.
Sabe aquele cara que agarra a mulher na balada? Isso é estupro!
Sabe o cara que transa com uma mulher inconsciente ou bêbada (ou mesmo incapacitada de fazer escolhas e tomar decisões)? Isso é estupro!
Sabe a cena do Laerte agarrando a Luisa (que foi ao ar em Amor à Vida no dia 24/04)? Pois é, isso é estupro. Passado em horário nobre em rede nacional e com trilha sonora romântica.
Agora que a gente tem noção do que é estupro, vamos entender como isso é mantido pela sociedade?

A Cultura do Estupro é a relação estabelecida entre estupro e violência sexual com a cultura de uma sociedade.
Ela é responsável por normalizar, absolver, tolerar e até mesmo incentivar o estupro.
Como esse sistema é mantido?
São vários os elementos que contribuem para que a Cultura do Estupro seja mantida.

* Atos sexistas validam e racionalizam práticas misóginas (como por exemplo piadas machistas).
* Culpabilização da vítima ("que roupa você usava?", "onde você estava?", "você estava sozinha?", "mas você foi pra casa do seu amigo?", "você provocava seu padrasto andando só de calcinha dentro de casa?"...).
* Objetificação do corpo feminino (predominantemente, o homem veem às mulheres como "sexo" e as reduzem a sexo).
* Banalização do estupro (práticas como "war rape", estupro nas cadeias, piadas com estupro).
* Papéis de gênero (regras sociais a serem seguida pelas mulheres que impõem uma educação de modo a assumir a responsabilidade pela sexualidade masculina e que são construídos de modo a reforçar o medo nas mulheres).
* Slut-Shaming (condenação das mulheres pela sexualidade feminina).
* Pornografia (reforça a objetificação do corpo feminino como uma mercadoria).
* Aceitação do estupro como ocorrência diária e até mesmo prerrogativa masculina (caso do estupro marital - o homem casado tem "direito" ao sexo e a mulher a obrigação de satisfazê-lo).
* Dominação das mulheres através dos papéis de gênero (ser doce, ser submissa, dedicar sua vida a agradar/cuidar dos outros...)
* Os mitos sobre estupro (moita, beco, lugar escuro, lugar vazio, homem portador de doenças mentais...)
Todo esse cenário contribui para que as vítimas não sejam acolhidas (e muitas vezes não tenham consciência da violência que sofreram).

O que as mulheres encontram quando buscam a realização de denúncias é toda uma apatia do Estado em lidar com vítimas dessa violência, agravada pela culpabilização da vítima. As autoridades resistem em ir contra o patriarcado e a vítima ainda se encontra com medo da estigmatização da qual fica refém.

O sexo não consensual (estupro) acabou por ser um produto fabricado pela sociedade patriarcal, misógina, onde há uma desigualdade de direitos e "liberdade" concedidos aos gêneros. Tudo isso perpetuado por gerações.
________________________________________________
Mais retratos da cultura do estupro:

Deem uma olhada na propaganda da Prudence intitulada "Dieta do Sexo". Trechos selecionados:
"Tirando a roupa dela com consentimento ----- 10cal
Tirando a roupa dela sem consentimento ------ 190cal
Abrindo o sutiã:
Com as duas mãos ---------------------------- 8cal
com uma mão --------------------------------- 32cal
com uma mão, beijando ela ------------------- 107cal
Com uma mão, apanhando dela ----------------- 208cal"

Lembrem-se das piadas, inclusive amplamente feita por "humoristas" famosos que seguem a linha: "Homem que estupra mulher feia, não merece cadeia, merece um abraço". E se você não ri é porque "precisa de um pau", "ninguém te come", "sua sapatão", "não serve nem pra ser estuprada". Rir disso é ser um agente de manutenção da Cultura do Estupro.