terça-feira, 3 de junho de 2014

Feminismo sem correntes, com amor.






Moças,

Nós da Feminiciantes gostaríamos de reforçar que vocês não precisam escolher vertente como se fosse se preparar para o chapéu seletor.

Quando você entra no feminismo, é muito comum que você veja várias discussões sobre inúmeros temas, algumas vezes umas brigas - que são bastante interessantes para se criar uma bagagem ideológica - suas irmãs e companheiras de luta vão te falar sobre a vivencia delas e as opressões que atingem especificamente elas (classe, etnia, cor, orientação, identidade de gênero). 

Você vai escutar mil nomes de autoras, Solanas, Audre Lorde, Judith Butler, Simone de Beauvoir, vão te passar mil textos e vão te falar de mil teorias e vertentes do feminismo. 

Vocês sabem, né, feminismo é um movimento plural e horizontal e tem muita coisa para aprender. Mas o mais importante que isso é que vocês não se sintam pressionadas a irem para uma ou outra vertente, que vocês tenham que escolher uma autora preferida. 

O melhor de ser iniciante é você aprender muito mesmo, ler algumas coisas e conversar com irmãs e sentir onde é seu espaço, onde você se sente acolhida para você criar o seu feminismo. 

Nenhum feminismo é melhor do que o outro, todos são distintos e especiais à sua maneira, vocês não precisam escolher agora o que querem, podem fluir e mesmo assim, se não quiserem teoria nenhuma, faça como achar que deve fazer, se sentindo bem 


Com amor,
Feminiciantes.