quarta-feira, 6 de maio de 2015

Da série: "Ser mãe é TÃO legal, mas..."



"Ser mãe é TÃO legal, mas e o pai dessa criança?"

Toda mãe já ouviu algum comentário como esse, infelizmente. E a gente retruca: quem é que disse que toda criança tem pai? Existem milhares de mães e infinitas formas de maternar. 

Inúmeras mulheres são abandonadas quando grávidas e além de ter de lidar com a decisão que por elas é tomada, a de que vão ser mãe, também tem de suportar, dia após dia, as inúmeras violências dessa sociedade misógina que odeia mães. Quer sejam solteiras, quer não. 

Além disso, mulheres lésbicas também são mães. "Mas e o pai?" Não tem! Não precisa. 
Concentrem-se em apoiar as mães e lhes dar o suporte que foi - e é - negado. Que tal lutar por um mundo com menos "E o pai?" e mais, muito mais, "E a mãe?".

Precisamos de lugares inclusivos para mulheres mães.

Feminismo é a libertação de TODAS as mulheres, isso inclui as mães!